José Theotónio, CEO do Grupo Pestana preocupado com o futuro do Turismo, Brexit e Aeroporto no cerne da questão

Portugal arrisca-se a perder turistas para outros países, afirma José Theotónio o CEO do grupo Pestana, lembrando que países como a Tunísia, Egipto e Turquia estão agora em melhor situação política o que abre portas ao Turismo.


Segundo José Theotónio, o grupo Pestana fechou o ano passado com um volume de negócios de 350 milhões de euros e, em 2018, estima um aumento de 10%.

O principal ponto crítico, advertiu, é o “estrangulamento” do aeroporto de Lisboa afirmando “Não sei se há novo aeroporto em 2022 e, mesmo que haja, já vem atrasado”.

Por outro lado, lembra este dirigente de hotelaria, Portugal continuou a crescer em 2018, mas já não ao mesmo ritmo do ano anterior.
Os números daquele que é o maior grupo hoteleiro português sustentam a afirmação: a taxa média de ocupação manteve-se nos 70%, com Setembro a trazer boas notícias para os hotéis de cidade e também no Algarve.


Mas o CEO do grupo Pestana diz que já se sente uma diminuição de visitantes do Reino Unido, com os turistas britânicos a preferirem mercados como a Turquia, o Egito ou a Tunísia, países cujas moedas registaram quedas mais pronunciadas do que a libra.

No entanto segundo José Theotónio é necessa´rio investir na promoção e na divulgação do destino Portugal sob pena de sermos ultrapassados por paises onde a libra desvalorizou menos que em Portugal

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade