Detido Melchior Moreira por "práticas de corrupção e tráfico de influências"

O presidente da Entidade de Turismo Porto e Norte de Portugal (ETPNP), Melchior Moreira, foi hoje detido pela Policia Judiciária (PJ), através da directoria do Norte, por "práticas de corrupção, tráfico de influências e participação económica em negócio".

 

Juntamente com o presidente foram detidos mais outros dois dirigentes da Turismo Porto e Norte.

Segundo o Jornal Hardmusica apurou, o processo decorre no âmbito de um inquérito do Ministério Público (MP), através do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) do Porto, onde decorre a investigação de "práticas de corrupção, tráfico de influências e participação económica em negócio".

Está em causa um esquema de corrupção onde foram desviados vários milhões de euros para fins particulares, depois de alegados corruptores terem pago férias no Algarve a Melchior Moreira. O Sporting de Braga e o Vitória de Guimarães terão sido beneficiados com o esquema criminoso, tendo sido também alvo de buscas, conforme noticiou o Correio da Manhã.

A PJ revelou que, no âmbito de uma operação realizada esta manhã, procederam "à detenção de cinco pessoas e a buscas domiciliárias e não domiciliárias, em entidades públicas e sedes de empresas, relacionadas com a presumível prática reiterada e continuada da viciação de procedimentos de contratação pública, cujos valores ascendem a vários milhões de euros".

Na operação policial realizaram-se onze buscas, domiciliárias e não domiciliárias, nas regiões de Porto, Gaia, Matosinhos, Lamego, Viseu e Viana do Castelo, e estiveram envolvidos meia centena elementos da PJ, incluindo inspectores, peritos informáticos e peritos financeiros e contabilísticos.

A investigação, refere a polícia, prossegue no sentido de determinar todas as condutas criminosas e o seu alcance.

Os detidos, com idades compreendidas entre os 42 e os 54 anos, sendo três dirigentes de entidade pública e dois empresários, vão ser presentes a interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

No passado dia 20 de Junho, a Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto tinha anunciado a constituição de cinco arguidos numa investigação à actividade desenvolvida por uma "entidade ligada à promoção do turismo", que se confirmou ser o Turismo Porto e Norte, por alegados crimes de corrupção, peculato e abuso de poder.

Contactado pela Lusa nessa altura, Melchior Moreira, manifestava-se de consciência tranquila e disponível para prestar todas as informações que lhe forem solicitadas.

Estou de consciência tranquila. Vou prestar todas as informações e toda a ajuda que me for solicitada, para esclarecer a situação e defender o meu bom nome e da entidade”, referiu então o dirigente.

O antigo deputado do PSD, que é presidente do ETPNP desde 2009 e foi reeleito no início de Julho para mais cinco anos, disse ver como prioridade a diferenciação da região, adiantando que pretende concluir o projecto da rede das lojas interactivas de Turismo nos 86 municípios.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade