easyJet prepara-se para lançar no mercado aviões totalmente eléctricos

easyJet e a Wright Eletric preparam-se  para reduzir progressivamente as emissões de carbono lançando aviões totalmente  eléctricos.

 

A easyJet e a sua parceira Wright Electric, acabam de anunciar o plano estratégico para o lançamento de um motor eléctrico que alimentará uma aeronave de nove lugares.

A Wright Electric, já tinha apresentado o ano passado uma aeronave de dois lugares e, agora, prepara-se para lançar uma aeronave maior com nove lugares, que começará a voar em 2019.

Olhando para o futuro, os avanços tecnológicos nos voos eléctricos são verdadeiramente entusiasmantes e estão a progredir rapidamente. Dos aviões de dois lugares, que já estão a voar, para os nove lugares que voarão no ano que vem, o voo elétrico está a tornar-se uma realidade e agora podemos prever um futuro que não seja exclusivamente dependente de combustível”, afirmou Johan Lundgren, CEO da easyJet.

O protótipo do sistema de propulsão para a aeronave de nove lugares “é quatro vezes mais potente que o sistema instalado na aeronave de dois lugares”.


Prevemos que esta aeronave consiga percorrer cerca de 500 quilómetros, o que, dentro do nosso portfólio actual de rotas, significaria que uma rota de Amsterdão até Londres poderia tornar-se o primeiro flyway eléctrico. E, como é actualmente a segunda rota mais movimentada da Europa, isso poderia, por sua vez, oferecer reduções significativas no ruído e nas emissões de carbono, com múltiplas decolagens e aterragens diárias. Achamos que a Holanda tem a oportunidade de liderar o caminho se o governo e os aeroportos incentivarem as companhias aéreas a operarem da maneira mais sustentável através de uma estrutura de cobrança diferente e mais vantajosa”, continuou Johan.

Sabemos que é importante para os nossos clientes que operemos de forma sustentável. Com a introdução dos A320neo, já conseguimos proporcionar uma redução de 15% nas emissões de carbono e 50% menos ruído, colocando-nos entre as melhores companhias aéreas da Europa”, rematou o CEO da easyJet.


Jeffrey Engler, CEO da Wright Electric, entusiasmado com o próximo ano, admitiu que “A easyJet tem sido uma parceira fantástica e esperamos ajudar a introduzir a aviação de baixo ruído e baixa emissão de poluentes na Europa”.

A easyJet transportou 22 milhões de passageiros desde o seu primeiro voo de Amsterdão para Londres em 1996.

Com uma média de 1,8 milhão de passageiros por ano e uma taxa de ocupação recorde de 93% na rota, a companhia aérea, que em breve será a maior operadora do A320neo na Europa, assume a responsabilidade de reduzir o seu impacto ambiental e continuará a incentivar os aeroportos a promover iniciativas para atrair as aeronaves mais silenciosas e sustentáveis.
Amsterdão – Londres, segunda rota mais movimentada da Europa, poderá ser a primeira a liderar os voos eléctricos do futuro.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade