Hotel do Templo: "um hotel onde a história está sempre viva"

Hotel do Templo: "um hotel onde a história está sempre viva"

Hotel do Templo: "um hotel onde a história está sempre viva" Jornal Hardmusica

Foi hoje apresentado, na casa do concelho de Idanha-a-Nova, o Hotel do Templo, localizado na aldeia histórica de Idanha-a-Velha.

A Casa de Marrocos, local onde está inserido o Hotel do Templo, está localizada na aldeia histórica de Idanha-a-Velha, classificada como Monumento Nacional e encontra-se dentro de muralhas romanas.

A sua recuperação, no âmbito do programa Revive, será uma das âncoras da recuperação do conjunto arquitectónico e arqueológico de Idanha-a-Velha, uma cidade romana que remonta ao século I a. C..

É o nono projecto a ter o apoio do Revive, um programa conjunto dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças, que pretende valorizar e recuperar o património sem uso, reforçando a atractividade dos destinos regionais e o desenvolvimento de várias zonas do país.

Na apresentação, o edil de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, referiu que o pretendido para esta futura unidade hoteleira “é encontrar bons parceiros, um bom promotor que seja nosso parceiro a contar as histórias desta 'cidade', e que aproveite uma região perfeitamente única que é da ruralidade, que assume essa condição, num território que está a meio caminho entre Lisboa, Porto e Madrid. Estamos suficientemente perto para apanhar um avião para o mundo e o suficientemente longe para ter a tranquilidade melhor do mundo”. Para o autarca o hotel "vai ser uma história absolutamente extraordinária", "onde os clientes poderão viver no tempo dos templários" e o "ponto de partida de toda uma bioregião com birdwatching, geocatching, canoagem", entre outras actividades.

Armindo Jacinto pretende um promotor "que tenha a sensibilidade para contar histórias", pois este é "um hotel onde a história está sempre viva". Deixando algumas ideias, referiu "na recepção poderiam estar vestidos de templários, ou árabes".

O Hotel do Templo é composto por 45 quatros, dos quais 37 são duplos, um de mobilidade reduzida, sete suites, Sauna, Restaurante, Ginásio e Piscina. "Queremos recuperar o tempo", "o hotel vai ocupar uma parta da velha Idanha", frisou o Presidente da autarquia. "Toda a aldeia é um espaço de animação do promotor em conjunto com a Câmara", concluiu.

Na apresentação desta nova unidade hoteleira esteve a Secretária de Estado do Turismo que começou por alertar que "o nosso património não pode estar fechado, não pode estar a cair". "Se queremos que as pessoas descubram o território, temos de criar ferramentas para os levar a conhece-lo", explicou.

Ana Mendes Godinho tem ligações "familiares" com os Templários, conhecendo muito bem a poderosa Ordem, seus usos, seus costumes e a sua história. O facto de o Hotel do Templo se situar numa zona de domínio templário, faz com que desperte mais energia para todo o processo. Foi com, alguma, emoção que fez a sua intervenção, tendo cativado uma plateia vasta meia adormecida pelo extenso discurso do autarca.

Um dos festivais de música mais mediáticos do país, o Boom Festival, realiza-se no concelho de Idanha. Este ano esteve, juntamente com alguns elementos do Turismo de Portugal, no festival. A sua apreciação foi "a quantidade de criticas que o Boom teve ao longo dos anos, fez dele uma grande aposta". Nele "encontrar pessoas de tantas nacionalidades", que permitem "encontrar experiências históricas".


A governante recordou que "Idanha está em tantos lados a vender Portugal", salientando que "é graças ao vosso trabalho que o país está a chegar aos quatro cantos do Mundo".

Em modo de conclusão, Ana Mendes Godinho, afirmou que "o que sinto em Idanha é Acreditar e fazer Acontecer". Concluiu a sua apresentação com uma mensagem para Aramindo Jacinto: "em si revejo os princípios dos Templários".

captcha