Regata de Portugal: “o balanço da primeira edição do evento é bastante positivo" com video

Regata de Portugal: “o balanço da primeira edição do evento é bastante positivo" com video

Regata de Portugal: “o balanço da primeira edição do evento é bastante positivo" com video Jornal Hardmusica

A primeira edição da Regata de Portugal, que se realizou de 03 a 07 de Outubro, no Terminal de Cruzeiros de Lisboa teve "um balanço bastante positivo".

Ao longo destes cinco dias passou pelo Rio Tejo uma das cinco etapas do World Match Racing Tour – uma das mais importantes competições internacionais de vela, com um prize money de um milhão de dólares na final que será disputada na China - que trouxe a Lisboa alguns dos catamarans mais velozes e ágeis do mundo, construídos com tecnologia de ponta que lhes permite atingir uma velocidade única em mar, além de grandes velejadores internacionais, medalhados olímpicos.

Além da competição de vela, a programação do evento foi, também, marcada por alguns dos maiores nomes da música electrónica portuguesa, pelo melhor da gastronomia com o chef Vítor Sobral e seus convidados e por mostras de arte urbana com a intervenção de artistas portugueses em contentores marítimos (numa curadoria de Gonçalo Mar). No espaço do evento houve, ainda, um mercado dedicado a produtos e produtores nacionais.

Segundo o curador da Gastronomia, Chef Victor Sobral disse ao Jornal Hardmusica, da ementa fizeram parte "entre 70% a 90% de peixe, sobretudo grelhado como escolha principal. Claro que nas entradas e pratos frios entraram outros ingredientes, mas o peixe foi a escolha". Acrescentou, divertido, que se “vingou", uma vez que "estou proibido de grelhar na rua em Lisboa aqui vou colocar a 'porra' da grelha na rua, e vinguei-me da proibição”.

Justa Nobre, que esteve com o seu espaço na Aldeia dos Pescadores, falou em exclusivo ao Jornal Hardmusica, apontando que a "localização do espaço não foi a melhor". Pois está muito longe do que acontece de principal, uma vez que nesta zona apenas tem vida à noite com a actuação dos DJ. A Chef referiu também a pouca afluência "contávamos com mais estrangeiros.. e os portugueses também não vieram muitos", provavelmente devido "à falta de comunicação, ou então a regata é um desporto de elite". referiu ainda que não está "arrependida de ter participado e para o ano se tiver tempo volto a participar". Sublinhou que "estes eventos custa sempre o primeiro ano, e para as coisas terem fama e serem boas, alguém tem de as pôr primeiro a funcionar". A Chef salientou que "tive muito prazer em vir no primeiro ano, sabendo que era um grande risco": Frisando que "nós não podemos só bater palmas quando as coisas têm sucesso, temos que ajudar a que as coisas tenham sucesso".

O Curador da Vela, Bernardo Freitas, confessou, em entrevista exclusiva ao Jornal Hardmusica, que "nesta categoria de vela, que é o Match Racing, falta-nos experiência", ou seja "mais horas de mar e coordenação". As equipas portuguesas não passaram aos quartos de final, mas para Bernardo "se nós chegássemos aqui e ganhássemos o campeonato, alguma coisa estava errada. É que estes são os melhores do mundo". Os portugueses apenas tiveram três dias para treinar e conhecer as embarcações. A vela é um deporto pouco conhecido em Portugal, logo chamando pouco público aos campeonatos. Bernardo Freitas explicou que para esta modalidade se tornar mais conhecida "é preciso termos mais eventos como o Regata de Portugal e o Volvo Ocean Race", pois são eles "que trazem a vela para mais perto do público". O desportista concluiu afirmando que "o que faz com que seja mediático é que as pessoas se identifiquem com o desporto e venham ver", salientando que "a Regata de Portugal está a demonstrar isso".

Francisco Mello e Castro, Director da Regata de Portugal, sublinhou que o balanço da primeira edição do evento é bastante positivo. O feedback das marcas e das próprias equipas de velejadores é muito bom, inclusive das próprias equipas portuguesas que infelizmente não se qualificaram até à final mas tiveram uma excelente prestação tendo, inclusive, terminado no pódio com um magnífico terceiro lugar na Regata de Portugal". Mello e Castro, que celebra os seus 25 anos no dia seguinte ao fim do evento, referiu que "agora, vamos começar a trabalhar na próxima edição para garantir que a emoção da vela e o entretenimento que este evento oferece chega, novamente, a todos os portugueses”.

A Organização do evento já confirmou uma segunda edição, a realizar-se no próximo ano, com mais detalhes a serem anunciados em breve.

Vídeo

Jornal Hardmusica
captcha