Jornadas Europeias do Património assinaladas em Tavira com iniciativas diversificadas

Jornadas Europeias do Património assinaladas em Tavira com iniciativas diversificadas
Tavira divulgação

Tavira associa-se, nos dias 27 e 29 de Setembro, às Jornadas Europeias do Património com a realização de duas iniciativas: Oficina de construção de marionetas e visita guiada à exposição “Mulheres Modernas na obra de José de Almada Negreiros”.

 

A Oficina de Construção de Marionetas, pelo Teatro D. Roberto terá lugar no dia 27, entre as 19:00 e as 23:00, no Museu Municipal de Tavira – Palácio da Galeria.

Esta iniciativa integra o FOME – Festival de Objectos e Marionetas e tem como objectivo “sensibilizar os formandos para o universo do teatro de marionetas, através da construção de uma marioneta de luva. Uma técnica que vai ao encontro da tradição portuguesa do teatro de marionetas - o Teatro D. Roberto, no âmbito da sua história e contexto artístico.”


A actividade, que será orientada pelo actor e artista plástico João Costa, tem como objectivo “fomentar a criação de personagens do Teatro D. Roberto, abordar as diferentes técnicas de manipulação e a realização de um pequeno ensaio através da manipulação das marionetas em grupo.”


A acção, de inscrição obrigatória, destina-se ao público em geral e é limitada a um número máximo de 20 participantes.


No dia 29, pelas 15:00, tem lugar, também no Museu Municipal de Tavira – Palácio da Galeria, uma visita guiada à exposição “Mulheres Modernas na obra de José de Almada Negreiros” pela curadora Mariana Pinto dos Santos.


A exposição, uma iniciativa da Fundação Calouste Gulbenkian em parceria com o Município de Tavira, “reúne 55 desenhos e pinturas – a maioria pertencente ao acervo da Coleção Moderna do Museu Calouste Gulbenkian –, assim como excertos da obra literária do artista e textos publicados nos jornais e revistas da época.”


A mulher moderna emancipada está presente na produção artística de Almada: na moda dos anos vinte ou através da representação de mulheres fumadoras, sedutoras, rebeldes, artistas, cantoras, bailarinas, actrizes, desportistas ou acrobatas. No entanto, “ainda subsiste o olhar masculino e voyeur que dominou a história da arte, tornou o corpo feminino em objecto e fez dele parte substancial da sua tradição.”


A figuração feminina enquanto força de trabalho também é evocada através da representação de mulheres do mar, cuja expressão endurecida e sofrida anuncia preocupações realistas, presentes na obra plástica de Almada dos anos trinta.

A visita é de inscrição obrigatória, destina-se ao público em geral e está limitada a um máximo de 30 participantes.


As Jornadas Europeias do Património são “uma iniciativa anual do Conselho da Europa e da União Europeia, que envolve cerca de 50 países, com o objectivo de sensibilizar os cidadãos para a importância do conhecimento, protecção e valorização do Património.”

A nível nacional o evento é coordenado pela Direção Geral do Património Cultural.

Este ano, sob o tema “Partilhar Memórias”, pretende-se chamar a atenção para importância “da partilha de memórias para que o passado não seja esquecido, fazendo com que a história se eternize na nossa consciência e se transmita de geração para geração, almejando a construção de um mundo mais esclarecido, mais tolerante e melhor.”

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade