Autarca da ilha grega de Santorini pretende limitar número de turistas

quarta, 13 setembro 2017 21:14 Escrito por 
Autarca da ilha grega de Santorini pretende limitar número de turistas D.R.

A Grécia pretende limitar a chegada dos turistas a um dos seus mais importantes destinos, a ilha de Santorini.

Santorini, chamada oficialmente Tira e Tera na Antiguidade, é uma ilha no sul do mar Egeu, a cerca de 200 quilómetros a sudeste da Grécia continental e conta com uma população de cerca de 25 mil habitantes e recebe anualmente dois milhões de visitantes.

Em forma de meia-lua, Santorini é uma ilha muito especial, encantadora, romântica e o resultado do que restou de um vulcão que explodiu em 1680 a. C..

Algo que provoca muitas vezes grandes engarrafamentos, problemas no fornecimento de água potável e electricidade e dificuldades na gestão de resíduos.

É a maior ilha de um pequeno arquipélago circular que leva o mesmo nome e é o resto de uma caldeira vulcânica. O conjunto de ilhas forma o membro mais ao sul do grupo de ilhas Cíclades, com uma área de aproximadamente 73 quilómetros quadrados e uma população estimada em 2011 em 15 550 habitantes. O município de Santorini compreende as ilhas habitadas de Santorini e Terásia e as ilhas desabitadas de Nova Caméni, Velha Caméni, Aspronisi e Cristiana.

Neste contexto, o autarca de Santorini, Anastasios Sorsos, pediu ao Ministério do Turismo grego que a ilha seja declarada saturada de turistas e começou a tomar medidas para reduzir as chegadas dos viajantes em cruzeiros.

Anastasios Sorsos estabeleceu um plano para colocar um limite nas chegadas diárias de cruzeiros, tendo o mesmo já começado, ainda como programa piloto, mas que deverá estar totalmente operacional em 2019.

O objectivo é limitar as chegadas diárias de turistas de cruzeiro a oito mil. na época alta, são atingidos os 18 mil visitantes, o que significaria reduzir o número para cerca de quatro navios por dia em vez dos sete ou oito actuais.