Lisboa já tem Marcha para 2015

"Santo António Canta a História", de Gimba, é o título da Grande Marcha de Lisboa que será interpretada, este ano, por todas as marchas na exibição no Meo Arena e no Desfile das Marchas Populares, na Avenida da Liberdade.

Comovem acontecendo, a EGEAC convidou todos os autores e compositores a criar a letra e música da Grande Marcha de Lisboa, como tema "Lisboa", referindo 500 Anos da Construção da Torre de Belém , e/ou Ano Internacional da Luz.


A composição "Santo António Canta a História", de Eugénio Cardoso de Carvalho Lopes, ou Gimba, será interpretada por todas as marchas participantes na edição de 2015 das Marchas Populares, tanto no Meo Arena como, dias depois, na noite de 12 de Junho, no Desfile na Avenida da Liberdade.

Este ano, o júri integrou Marco Quelhas, na apreciação da letra, Mário Laginha e Tozé Brito (representante da SPA), na apreciação da música, Pedro Moreira, na apreciação global, e ainda por Pedro Nereu, representante da EGEAC e presidente do Júri.

"As propostas recebidas foram avaliadas segundo os critérios de selecção simplicidade, o enquadramento e articulação dos temas da letra, a criatividade, genuinidade e efeito da música e ainda, a correlação entre os dois, sempre considerando a qualidade total", refere a nota de imprensa.


Segue a letra da Marcha de 2015 para que possa acompanhar quando assistir ao desfile na noite de 12 de Junho na Avenida da Liberdade.

Grande Marcha de Lisboa 2015

Santo António Canta a História

Autor música e letra: Gimba (Eugénio Cardoso de Carvalho Lopes)

"Bem-vindos à cidade ribeirinha

Da faneca e da sardinha

Das varinas, dos pregões

Bem-vindos ao destino mais castiço

Do encanto e do feitiço

Da marchinha e dos balões

Bem-vindos ao Museu do Santo António

Dos anais, do património

Dos fiéis, das procissões

Bem-vindos à cidade que é do fado

De Bocage, do Chiado

De Pessoa e de Camões

(Refrão)

Lisboa, do Terreiro aos miradouros

És a jóia do tesouro

Que é o melhor de Portugal

Lisboa, dos Jerónimos à Sé

És o altar da nossa fé

És rainha e capital

Lisboa, vais cantar os parabéns

São p'ra Torre de Belém

Cinco séculos de memória

Lisboa, tens passado e tens "movida"

E nas Marchas na Avenida

Santo António canta a história

Bem-vindos ao cenário alfacinha

Dos telhados em escadinha

Das pombinhas a voar

Bem-vindos à cidade caravela

Da travessa, da viela

Do marujo a gingar

Bem-vindos ao estuário de ouro e prata

Da falua, da fragata

Do batel a navegar

Do Tejo dos romances, dos amores

Dos heróis descobridores

E dum povo que é do mar"

(Refrão)

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade