Carlão classifica 'Fantasma da Ópera' como "azeiteiro" no Rising Star

A segunda emissão de "Rising Star" reconheceu doze novos aspirantes a serem a próxima estrela e algum descuido verbal de Carlão na análise das actuações.

 

O programa conduzido por Leonor Poeiras e Pedro Teixeira registou "mais de um milhão de votos" segundo anunciou a apresentadora no final da emissão.

Neste formato para além dos jurados vota também o público, a quem cabe uma responsabilidade de 72% na passagem ou não do concorrente à próxima fase.

Entre as várias actuações há a destacar a espanhola Alexandra que surpreendeu ao cantar "Canção do Mar" de Dulce Pontes. Apesar de algum nervosismo e desafinação, surpreendeu pela alma e pelo tom de voz, que prometeu no futuro voltar a surpreender os portugueses.

Os Los Romeros com 91% dos votos conseguiram também passar à próxima fase, eles que têm um estilo musical variado, essencialmente rumba e flamenco.

O grande vencedor da noite contudo foi Vasco Duarte que interpreta estilos diversos como o metal e o pop. Consegui 97% dos votos, naquela que é a maior percentagem até este momento no Rising Star.

Pela negativa há a destacar Carlão pela linguagem usada na avaliação a um concorrente que interpretou o Fantasma da Ópera, tendo Carlão classificado o género como "azeiteiro", tendo ainda acrescentado que "azeiteiro para mim é um lado mais piroso". Ora como músico, como interprete e como jurado deveria ter uma linguagem mais cuidada sob o risco de ser mal interpretado ou ser desagradável.

Recordamos que o restante painel de jurados é constituido por Cuca Roseta, Rita Guerra e Pedro Ribeiro.

O formato apesar de ser considerado "muito interactivo" continua a ser apenas um programa onde os concorrentes cantam e o público e os jurados votam. Nada de novo quando comparado com o que até aqui se produziu em Portugal.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

 

Atualidade