Amor Electro nas Festas de Lisboa levantaram o ânimo do público desanimado com a Selecção

Amor Electro nas Festas de Lisboa levantaram o ânimo do público desanimado com a Selecção

Amor Electro nas Festas de Lisboa levantaram o ânimo do público desanimado com a Selecção Victor Sá Ramos

A Alameda da Universidade de Lisboa recebeu, no âmbito das Festas de Lisboa, os Amor Electro para um concerto logo a seguir ao jogo entre Portugal e a Áustria.

Após o sofrimento dos adeptos da Selecção Nacional, entraram em palco a banda Amor Electro numa "tentativa de fazer esquecer o que tinha acontecido anteriormente", conforme referiu em exclusivo Marisa Liz ao Jornal Hardmusica.

Para abrir o concerto escolheram o tema "No esplendor", logo seguido de "Amor Maior". A vocalista revelou-nos não ter sido "uma tarefa fácil", colocar o público animado, embora "seja destes desafios que nós gostamos", salientou.

Com o terceiro tema "Mar Salgado", que foi banda sonora de uma novela da SIC, levantou a energia do público que a acompanhou a banda no refrão e bateram palmas a acompanhar.

Conforme Tiago Pais Dias revelou ao Jornal Hardmusica, o quarto tema "Juntos somos mais fortes" será "o single do nosso próximo disco", que "ainda não podemos revelar o nome". Esse disco "tem duas datas possíveis de saída: Outubro ou no início do próximo ano", isto porque "depende das parcerias", explicou.

O quinto tema, uma canção de Zeca Afonso, "Canção de embalar", foi igualmente acompanhado pelo público. Ao nosso lado uma senhora dos seus 60 anos cantava a toda a voz de olhos fechados e cabeça erguida.

O público estava totalmente na mão da banda, mas ainda assim o sétimo tema foi para ter a certeza que estava tudo bem. "Só é fogo se queimar" levou o público a cantar bem alto e a aplaudir efusivamente.

A música seguinte foi aquela que será sempre o grande hino dos Amor Electro, "A Máquina". Desta vez Marisa Liz deixou o público cantar a música, como se pode ver no vídeo, intervindo pouquíssimo durante o mesmo. Isso "foi um presente que quisemos dar a nós próprios", explicou a vocalista. Tiago Pais Dias acrescentou que "foi um concerto muito especial, pois mais de 40% do público eu conhecia". Por estes motivos e outros que só cada um dos espectadores saberá, receberam o maior aplauso da noite. Sentimos que o público ficou claramente satisfeito pelo facto de Marisa os ter deixado cantar sozinhos.

A cantora explicou que antes de serem os Amor Electro cantavam em bares "músicas de outros", até que "um dia uma editora nos ouviu e viu", salientando "sim isto acontece e é possível". Pelo facto de cantarem covers, "decidimos trazer para palco e para disco alguns desses temas", explicou.

Os dois temas que se seguiram foram "7 Mares", dos Sétima Legião e "Foram cardos", de Manuela Moura Guedes. O público conhecia bem os temas e acompanhou a banda nos mesmos.

Já prestes a terminar veio outro dos temas fortes do grupo, "Rosa Sangue". Escusado será referir que a explosão eufórica do público foi imensa.

A terminar interpretaram mais um cover, desta vez "Barco Negro", de Amália Rodrigues.

Voltaram a palco para mais dois temas, "A nossa casa" e novamente o single do novo disco "Juntos somos mais fortes".

Sobre esse novo trabalho Tiago Pais Dias disse que será "mais electrónico". No "primeiro quisemos que fosse pop, no segundo rock e este será electrónico", pois "queremos sempre inovar", salientou.

As letras serão, "mais uma vez uma parceria com Jorge Cruz" e "de uma ou um fã". Ou seja, "foi criado um concurso para que criassem uma letra que seria musicada pelos Amor Electro e que entraria no disco". Foram "mais de 600 letras que recebemos, tendo sido bastante difícil escolher uma", salientou Tiago Pais Dias.

Marisa Liz disse-nos que no próximo mês "iremos começar a gravar o Factor X" e acredita "que ainda existam vozes que me surpreendam".

Nenhuma evento encontrado.
captcha