“Rouge”, um espectáculo onde o corpo de baile é ele mesmo, “O Espectáculo”

“Rouge”, um espectáculo onde o corpo de baile é ele mesmo, “O Espectáculo”
Jornal Hardmusica

“Rouge” um espectáculo de cabaret que estará em cena no Casino Figueira da Foz até ao fim de Agosto de quinta a domingo, com um custo de cinco euros, dois deles para consumo.


Com coreografia e produção de Cecília Carneby Reveles e Amy Ruffles, do Figueira Stage School, “Rouge” apresenta um corpo de baile com oito elementos de Portugal, Inglaterra, Brasil e Cuba.

"Rouge" é um espectáculo que vai beber um pouco ao vaudeville francês  e que tem no seu corpo de baile a força de toda a actuação.

A banda sonora tem como base temas de Cabaret, Moulin Rouge, Chicago que levam a performances bem definidas, de boa coreografia e sobretudo apoiado por um excelente e bem escolhido guarda roupa.


O Jornal Hardmusica falou com um dos bailarinos, Pedro Calheiros, um verdadeiro acrobata em cena.

Perguntámos a Pedro Calheiros qual era a sua formação profissional e sobretudo quando tinha começado o seu amor pela dança.
Aos oito anos fiz um ano de ballet mas depois foram 13 anos de ginástica acrobática em Coimbra na Académica”.

À pergunta sobre o seu percurso artístico, o jovem, de 22 anos, disse ter andado por Aveiro, Coimbra e agora pelo Casino Figueira. Mas acrescentou, “se surgirem outros convites não hesitarei em ir para outro lado”.

Quisemos saber se este espectáculo estava melhor que o do ano passado, mas Pedro foi peremptório: “o do ano passado estava muito bom mas este ainda está melhor”.

E neste espectáculo é de salientar a final, um Can-Can completamente eléctrico que põe toda a assistência a mexer.

 

A peça de Offenbach, celebrizada em Moulin Rouge, fecha com chave de ouro o "Rouge", e Pedro Calheiros dá-lhe o toque do malabarismo acrobático espectácular.

Todo o corpo de baile se envolve numa empatia excelente e o bailarino de Coimbra consegue dar um toque de excentricidade, melhor de beleza artística, com as suas acrobacias que terminam numa bem executada espargata.
O bailarino demonstra uma souplesse e uma elegância, aliás bem correspondidas pelo excelente grupo que com ele dança, que revestem de grande brilho todo o “Rouge” um espectáculo de grande qualidade.


A entrevista foi realizada por António Manuel Teixeira.

Mídia

Jornal Hardmusica
Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade