FESTin: "nada melhor do que o audiovisual para retratar a realidade feminina..."

terça, 28 fevereiro 2017 21:35 Escrito por 

Com abertura marcada para dia 01 de Março, o FESTin - Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa, no Cinema São Jorge, tem como ponto central "a mulher no audiovisual".

O objectivo do FESTin é fomentar a interculturalidade, a inclusão social e o intercâmbio cultural nos países de língua portuguesa, através da realização de um Festival de Cinema comprometido com a divulgação da pluralidade cultural e o respeito pela diversidade de cada povo.

A directora do festival, Adriana Niemeyer, explicou ao Jornal Hardmusica que esta edição "será dedicada à mulher no audiovisual em parceria com o ano 2017- Lisboa Capital da Cultura Ibero-americana". Ao longo dos oito dias, existirá "uma grande presença feminina que vai discutir não só o audiovisual, mas a criatividade o empreendedorismo, a sexualidade e muito mais".

Estão confirmados para a oitava edição 26 realizadores, dos quais nove são portugueses, onde se destaca Margarida Gil. A realizadora terá destaque na secção da Mostra Mulheres no Cinema Ibero-Americano, Passado e Presente. Serão seis obras, na Retrospectiva Margarida Gil. Nesta Mostra estarão também presentes filmes do Brasil, Cuba, Espanha, República Dominicana e Uruguai.

Segundo Adriana Niemeyer, era importante para o festival destacar "a importância da mulher no desenvolvimento e na criatividade" de todos esses países. Mas, claro, "nada melhor do que o audiovisual para retratar a realidade feminina...".

O FESTin é feito com "muitas mulheres no comando, mas com uma importante retaguarda masculina", afirmou a responsável, destacando a "grande importância dos voluntários", para que tudo fique perfeito.

Embora a direcção seja tripartida pela Léa Teixeira, Adriana Niemeyer e Victor Serra, na apresentação do festival à comunicação social e aos parceiros o elemento masculino não marca presença. Sobre o motivo, Adriana respondeu simplesmente, "sem comentários".

Durante sete edições o principal patrocinador foi a Globo. Este ano para colmatar a falta do principal investidor, encontraram "outras empresas que passaram a nos dar suporte nesta edição". A dirigente frisou que "continuamos em optima relação com a Globo mas neste momento de crise também entendemos que as prioridades deles sejam outras...".

Destacamos as duas mesas redondas que irão decorrer nos dias 02 e 06, pelas 18:30, subordinadas aos temas "A mulher no audiovisual" e "Feminismo, género e sexualidade". Decorrem na sala 02 do Cinema São Jorge com entrada livre, mediante a lotação da sala.

Nesta oitava edição estão dez filmes a concurso na categoria de "Longas Metragens", dos quais oito são brasileiros e dois portugueses.

A secção "curtas-metragens" conta com 18 filmes oriundos do Brasil, Portugal, Guiné-Bissau, Angola e Espanha, divididos em três sessões. Dia 01 pelas 18:30, dia 03 pelas 20:30 e dia 04 pelas 18:30.

Os documentários a concurso são seis, dois de Portugal e quatro do Brasil.

Como acontece de há uns anos a esta parte, a Mostra de Cinema Brasileiro está inserida no FESTin. Este ano conta com seis longas e quatro curtas.
Os bilhetes custam 03€, os normais, 02,50€ os até 25 anos e maiores de 65 anos, 01,50€ para estudantes e grupos de mais de 10 pessoas/por pessoa e 01,50€ Mostra de Documentários/por sessão.

Modificado em terça, 28 fevereiro 2017 22:46